Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
» Shadowfell!!
Dom Maio 20, 2018 5:51 pm por Felipe

» Os Nove Infernos de Baator!!
Dom Maio 20, 2018 5:48 pm por Felipe

» O Abismo e os Reinos Abissais!!
Dom Maio 20, 2018 5:47 pm por Felipe

» Celestia - Monte Celeste!!
Dom Maio 20, 2018 5:23 pm por Felipe

» Arvandor!!
Dom Maio 20, 2018 2:19 pm por Felipe

» Plano Astral - Mar Astral!!
Dom Maio 20, 2018 2:09 pm por Felipe

» Limbo - O Final da Estrada!!
Dom Maio 20, 2018 2:08 pm por Felipe

» Psiônicos 5a edição - Homebrew!!
Sab Maio 19, 2018 9:11 pm por Felipe

» Old McCoy / Edwin
Sab Maio 19, 2018 5:36 pm por Felipe

Maio 2018
SegTerQuaQuiSexSabDom
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Calendário Calendário

Os membros mais marcados


Drows e Relacionamentos!!

Ir em baixo

Drows e Relacionamentos!!

Mensagem por Felipe em Sex Jan 19, 2018 2:01 pm

Relação de Gênero:

Os Drow têm muito a temer e desconfiar uns nos outros - o que acontece, claro, por sua própria culpa. A dinâmica de poder na maioria das cidades drow é voltada para uma ou outra maneira: A maioria das cidades drow é dominada pelas mulheres, e outros assentamentos são dirigidos por homens. Em ambos os casos, é a dominação que conta. Os Drow são cruéis com aqueles abaixo deles em status, e têm prazer em oprimir seus inferiores. Eles também estão sempre em busca de novas formas de tirar proveito daqueles com o mesmo status ou mais do que eles. Isto não muda durante os "cortejos" (se esta palavra sequer puder ser usada), nem mesmo se dobram em troca de favores sexuais de qualquer espécie. Os Drow devem suprir suas necessidades sexuais e prover membros para as novas gerações, independente da relação de poder ou opressão entre gêneros. Assim, ser bem-sucedido sexualmente não é pouca coisa.

Sexo para os drow está ligado à relação de poder e controle. Desde seu despertar sexual, Drow aprendem que os exo é para o seu próprio prazer, apenas, mesmo que venha ao custo da liberdade de outros (mesmo a custo de vidas). Os Drow não são tímidos com suas crianças, e são sedentos por ensinar os segredos sexuais assim que os mais novos aprendem a falar. Eles não ensinam apenas a base da anatomia da copulação, eles também descrevem desejos, prazeres, e a conquista triunfante uns sobre os outros. Crianças Drow não são poupadas de ver os pais nús, nem são poupados de ver os adultos copulando uns com os outros, desde que queiram ser vistos.

Crianças drow em virtude de seu tamanho e inexperiência não costumam ser cobradas por suas conquistas - eles são vistos como muito fracos e insignificantes pela corte. Por outro lado, alguns adultos impõe-se sobre as crianças justamente por serem fracas. É uma verdade dura a de que muitas crianças mal sobrevivam a um encontro desta natureza com um adulto drow, como um adulto pode não sobreviver a um encontro com outro de sua própria idade. O estupro de crianças pode ainda ser vingado como um insulto pela casa que o sofre, mas tem mais a ver com a política das casas do que o bem-estar da criança (que pode até ser punida por sua fraqueza). Havendo ou não uma retaliação, a culpa é vista como sendo sempre da criança, fraca e incapaz de se defender das ameaças.

A ampla maior parte do tempo, os adultos devem se enfrentar em arenas sexuais para ver quem consegue se impor sobre um maior número de adversários. Na maioria das vezes, a disputa sexual pode tornar-se uma luta até a morte: perseguições podem acontecer, bem como emboscadas. A força está por trás da maioria dos encontros sexuais (especialmente nas cidades dominadas por um gênero ou por outro), assim, violência sempre vai gerar mais violência. Tortura é ainda um ingrediente a mais, já que a maioria dos drow é escolada em suas técnicas. Alguns encontros sexuais terminam com a morte de um dos participantes, com fêmeas eliminando suas rivais e machos vingando-se das fêmeas, mas todo encontro termina com um dos lados acabando desmembrado.

O uso da força e violência nem sempre é punida. Se a vítima tiver poder suficiente para vingar-se, eles podem até tentar; se não, então a vítima deve guardar silêncio sobre o ocorrido. Os perpetradores quase sempre vão contar o ocorrido como prova de sua própria proeza, além de exaltar a fraqueza da vítima (que pode encorajar outros a repetir o ato contra a mesma vítima).

A despeito da violência sexual presente no desenvolvimento de um drow, elfos negros reproduzem-se da emsma maneira como qualquer outra espécie. Primeiro, têm um impulso por querer copular o tempo inteiro. Este impulso é centrado no prazer a si mesmo, mas pode ser fruto do desejo por conquistar um maior número de servos. Em segundo, os Drow desejam a continuidade da própria espécie. Apesar de esconder-se por trás de um grande número de escravos e incontáveis feitiços de proteção, ainda precisam haver drow suficiente para controlar os escravos ou prover as proteções mágicas necessárias à sua sobrevivência.

Há uma alternativa à reprodução tradicional macho x fêmea, que deve ser considerada.

Fêmeas drow em cidades Lolthianas vêem a si mesmas como superiores a todas as outras, incluindo machos da mesma religião. Assim, tornam-se importantes prêmios a ser conquistados. Elas podem cobiçar umas às outras da mesma maneira por uma miríade de motivos: Por poder, por posse, por prestígio ou apenas prazer sexual. Elas também tendem a evitar a companhia de machos inferiores até terem idade para procriar. Não há tabús entre os drow concernentes à idade, assim, as fêmeas se impõe sempre que tiverem a chance. Afinal, o maior poder é ter o controle de cada membro de suas cidades.

Machos drow, em comparação, são vistos como subalternos inferiores, e recebem as piores tarefas. Mesmo seus serviços sexuais para as fêmeas pode se tornar uma terrível tarefa, com nenhum reconhecimento por sua contribuição. Por toda aprte nas cidades drow, os machos são enviados nas patrulhas de lugares extremamente perigosos, ou enviados em missões que os deixará fora da cidade por longos períodos, normalmente sozinhos. Eles precisam voltar-se uns para os outros ao menos para sobreviver às ameaças do Mundo Acima, e tendem a ter as piores experiências com as fêmeas de sua espécie. Isto cria um laço diferente e importante entre os drows machos de uma casa, que pode vir a se tornar uma intrincada relação de confiança.

Enquanto muitos relacionamentos sexuais são públicos na sociedade drow, os mais importantes são feitos em segredo pelo risco à segurança dos envolvidos. Drows usarão amantes para revidar injúrias se tiverem a oportunidade, e nenhum drow quer se ver vulnerável pela simples busca ao prazer. Os poucos relacionamentos tornados públicos são aqueles com fins de concepção: uma Mãe Matrona pode escolher um padrinho para que seu filho cresça forte e protegido, ou um clérigo de Vhaeraun pode fazer uma grávida refém. Alguns relacionamentos tornam-se públicos por circunstâncias muito especiais; Uma fêmea abandonada por Lolth pode ser dada como escrava para outra Mãe Matrona como forma de punição.

Amor e Casamento

"Confie em mim, meu querido amigo, não existe esta coisa de amor - são apenas sentimentos e emoções confusas."
-- Original Sin

Os drow não se casam. Ma sociedade Lolthiana, as fêmeas não vêem os machos como necessários à legitimação de sua linhagem. O filho de uma mulher é reconhecido simplesmente por ter saído dela. A verdadeira busca por poder e heranças não se faz pela descendência, mas pelo sangue derramado; os drow incapazes de eliminar seus oponentes não viverá o bastante para receber a herança de suas mães. Uma criança se prova apta de sobreviver na sociedade apenas por sobreviver à própria adolescência. nas sociedades drow dominadas pelos machos,as fêmeas são tratadas como meras incubadoras para suas sementes, e todas as crianças são propriedade de seus pais.

O Amor não é visto como algo a ser celebrado, mas uma fraqueza a ser escondida ou purificada. A palavra drow para "amor" tem a mesma raíz da palavra "perdição". O amor é visto como uma mácula, uma vez que são ensinados que é um sinal de fraqueza. A maioria dos drow que ama também odeia o objeto do desejo. O amor já levou muitos drow à loucura, e histórias macabras contam experiências distorcidas, onde o amor é visto como uma arma que ninguém pode ao certo controlar. Aqueles que se amam numa cidade drow devem esconder seu afeto a todo custo. Devem se encontrar em segredo, agredir-se publicamente, ou agir com completa indiferença um pelo outro. Algumas versões de Amor existem em seu meio, mas são dolorosas e inevitavelmente ameaçadoras. Mesmo nesta forma distorcida, amor é o mais bem guardado segredo de um drow.

Gravidez

Os drow se reproduzem num ritmo incrivelmente rápido para elfos, de maneira que engravidam na mesma taxa que os humanos. Há inúmeras ocorrências de abortos e mortes na infância, assim um alto grau de fertilidade é muito valorizado. Muitos sacrifícios já foram feitos para garantir um grande número de nascimentos numa cidade drow, ou um último parto para uma Mãe Matrona. Drows chegam eventualmente à menopausa, e uma vez que não podem mais se reproduzir, as mulheres devem encontrar outras maneiras de servir à sociedade e serem úteis.

As drow grávidas são reverenciadas como proezas de fertilidade em meio a tantas ameaças. São cumprimentadas por como são "robustas" e como podem ter filhos "fortes", sendo valorizadas por drow de maior prestígio em tais ocasiões. Clérigas drow grávidas recebem o poder de usar magias muito mais poderosas do que normalmente poderiam neste período, um claro sinal da bênção e aprovação de Lolth (obviamente estas magias somem assim que a gravidez termina).

O estado vulnerável a gravidez em Underdark não é subestimado. Fêmeas grávidas recebem a melhor comida por direito a despeito dos outros. Muitas fêmeas ficam paranóicas durante a gravidez, a ponto de não comer ou beber nada que não tenham elas mesmas preparado, e mesmo assim outros vão experimentar; uma raça tão adepta de venenos não pode ser confiável. Depois de um certo ponto da gestação, uma drow é privada de trabalho duro. Drow da escória recebem os mesmos benefícios de uma nobre, apesar das camponesas não serem colocadas na cama enquanto esperam pelo fim da gravidez.

Os nascimentos são atendidos por pelo menos uma parteira de Lolth. Drow não acreditam em sedativos ou outras formas de evitar a dor no parto, embora tenham muitos destes sempre à mão. Algumas vezes, drow dão à luz de gêmeos, e mais raramente, trigêmeos. Estes nascimentos são vistos como bênçãos especiais de Lolth. Drow quase nunca escolhem o nome de seus filhos imediatamente. Muitos fazem preces pedindo iluminação para a escolha. Outros lhes darão nomes de ancestrais ilustres. Outras serão inspiradas durante as dores do parto. Desnecessário dizer, as mães na sociedade Lolthiana sempre escolhem os nomes de seus filhos. O oposto também acontece nas sociedades dominadas pelos machos.

Aborto

Os Drow recorrem a abortos em várias circunstâncias. Primeiro, deve-se levar em conta o tipo de cidade drow. Numa cidade Lolthiana, uma fêmea Drow será considerada responsável por cada aspecto de seu corpo. Se ela não quiser uma criança, poderá recorrer a métodos contraceptivos ou mesmo abortar sem que ninguém tenha direito algum de opinar. Uma fêmea aumenta seu prestígio e poder gerando filhos, e se ela demorar muito a fazê-lo, outros podem questionar seu poder e seu papel nos planos de Lolth. Além disso, mulheres drow que tenham sido engravidadas por extra-planares, principalmente durante ritos cerimoniais, são proibidas de abortar seus filhos de qualquer forma. As punições para esta infração são muito severas, podendo ir de novas copulações com extra-planares até emsmo ser ordenada a matar-se, dependendo do tipo de extra-planar envolvido.

Num acampamento dominado por machos, os machos determinam se a fêmea poderá levar a gravidez adiante ou não, não importando sua opinião. Se for necessário, um aborto será feito, ou a criança será tomada no momento do nascimento. Já que grupos dominados por machos são pequenos, e não são a regra na sociedade drow, as mulheres tentam engravidar sempre que for . A mesma proibição existe para gravidez de extra-planares, com os mesmos castigos impostos aos praticantes.

Relações com Escravos

Ao contrário das fantasias sexuais, poucos escravos são mantidos apenas para fins sexuais. Apenas porque sempre há muito trabalho a ser realizado. Muitos escravos serão abusados ao longo de suas vidas, entretanto, seja por guardas ou qualquer outro interessado. Alguns escravos escolhem trocar sexo com os guardas em troca de melhores tratamentos, acomodações e comida. Algumas vezes, os escravos desenvolvem verdadeira obsessão por seus captores, oferecendo-se a eles a qualquer oportunidade, mas isto é mais uma exceção do que uma regra. Ocasionalmente, um mestre pode enviar suas melhores escravas como prostitutas emt roca de favores ou apenas para se infiltrar em determinados círculos de Drow.

Os poucos escravos mantidos exclusivamente para fins sexuais tendem a ter algo muito especial. São mantidos por causa de sua beleza, voz encantadora, gritos excitados, pureza de espírito, e assim por diante. Escravos sexuais não costumam ser empregados nos trabalhos mais pesados, mas sempre receberão mais atenção que o normal de seus mestres, um fato visto com péssimos olhos pela maioria dos escravos.

Escravos de prazer são tratados como moeda de troca. Eles costumam ser emprestados a outros drow como presentes ou favores pessoais, e passam muito tempo (previamente acordado) com seu novo mestre. Eles costumam ainda ser dados como prêmio a alunos e servos que se destacam de alguma maneira. Na pior das hipóteses, podem ser tomados como pagamento por débitos, mas não valem necessariamente mais que outros escravos se forem vendidos em leilões. Algumas vezes acontecem leilões exclusivos de escravos sexuais, eventos muito mais rentáveis para seus organizadores. Outras vezes estes leilões acontecem por um único escravo sexual, seja por suas próprias habilidades ou por seus mestres anteriores.

Drows não são de forma alguma ingênuos. Eles sabem que qualquer escravo acabará fazendo sexo espontaneamente ou à força, em segredo ou abertamente. Mestres drow não correm riscos com eventuais escravas aparecendo grávidas. Apesar de nenhum mestre se importar em dar à luz novos escravos, nenhum deles vai querer muitas escravas engravidando de uma só vez. Em geral, escravos férteis terão ervas e venenos leves acrescentados à sua comida e bebida para mantê-los temporariamente inférteis. Mestres, entretanto, podem manter algum grupo fora deste controle; gravidez só acontece numa pequena proporção das escravas. Isto geralmente é necessário entre escravas humanóides, já que elas podem engravidar a qualquer momento.

Uma escrava que carregue uma doença transmitida pelo sexo pode ou não ser exterminada, dependendo da severidade da doença ou de quem a infectou. Uma doença que severamente impede uma escrava de trabalhar não pode ser deixada se alastrar. Da mesma forma, uma escrava sexual que seja uma "favorita" entre drow mais abastados não pode ser deixada livre para infectar um círculo abastado. matar escravas infectadas é a maneira mais rápida e barata de resolver o problema. Escravas especiais, por outro lado, costumam ser punidas por contrair doenças, e podem ou não ser curadas. Se for conhecida alguma cura dolorosa, é esta que será aplicada.

Escravos podem ou não ser punidos por fazer sexo com outros escravos. Normalmente, aqueles apanhados no momento são punidos severamente e em público para servir de exemplo. De qualquer forma, todo escravo sabe que sua vida será curta e sofrida, e que sempre correrão o risco de punições quando suas necessidades forem postas à prova.
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 3187
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum