Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
» Às margens do Lago!!
Hoje à(s) 3:05 pm por Morë Olori

» Hríve Ringaur, o Lobo do Inverno!!
Dom Fev 18, 2018 5:19 pm por Felipe

» Recém recrutados!!
Sab Fev 17, 2018 3:21 pm por Felipe

» Gelo e Fogo, os elementos criam ou destroem?
Qui Fev 15, 2018 11:40 am por Morë Olori

» Ameaça - Barduk!!
Qua Fev 14, 2018 8:45 pm por Felipe

» Old Drow Scetlement!!
Dom Fev 11, 2018 7:47 pm por Felipe

» Artblade - Um mistério para Finn
Dom Fev 11, 2018 7:26 pm por Felipe

» Adept of the Eye - Banite!!
Dom Fev 11, 2018 7:20 pm por Felipe

» Mina Geodita - O Segredo de Gauntlgryn!!
Dom Fev 11, 2018 7:19 pm por Felipe

Fevereiro 2018
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728    

Calendário Calendário

Os membros mais marcados


Afastar o mal, ou tentar.

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Ter Jan 16, 2018 2:50 pm

"Um drow, um FORASTEIRO, quer dar ordens aos Dragões Púrpura", é a opinião generalizada.
Era notório que nenhum deles confiava ainda em More, começavam a se acostumar ao peso da autoridade de Barduk. Mas a confiança de uma fraternidade militar vem com tempo e convivência.

Havia incômodo nas atitudes, Nigel mantém-se afastado dos dragões, atento às descobertas de dentro da torre.
Dórin junta-se a Jholnar, um dos acólitos mais antigos de Barduk, e juntos preparavam um círculo de consagração.
Barduk sabia o peso do que estava em jogo. Havia se preparado para esta ação. depois de esvaziar completamente a torre, caminhou cômodo a cômodo, acompanhado apenas de seus acólitos, limpando, demarcando e purificando cada parte da construção, até que só restasse a maldita pedra-fundamental.

Todos estavam do lado de fora. Apenas Barduk, Jholnar e Dórin estavam do lado de dentro, sendo a porta trancada por ordens do Thurmaz.
Mas qualquer um via pelas poucas e distantes janelas da torre que havia mais alguém. Uma figura sinistra caminhando pelas escadas entre os andares.
Talvez tenha restado alguém, escondido. Talvez um compartimento, talvez um cômodo desconhecido.
O fato é que havia mais alguém na torre junto do trio.
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Ter Jan 16, 2018 2:53 pm

Dados do Acaso - +8:

1) 19 x 15
2) 24 x 14
3) 26 x 24


Última edição por Felipe em Ter Jan 16, 2018 2:56 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Ter Jan 16, 2018 2:53 pm

O membro 'Felipe' realizou a seguinte ação: /roll


'd20' : 11, 16, 18
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Ter Jan 16, 2018 3:55 pm

Barduk conhece o intenso rito diante do compartimento que guardava a pedra-fundamental.
Assim que começa a exalar seu incensário, e entoar seus cânticos, as janelas começam a bater. As portas entre os andares, e de cada gaveta, armário e gabinete, começa a se agitar.
Barduk sente um arrepio percorrer a espinha, e mesmo tendo fechado os olhos, podia "ver" (sentir na verdade) uma névia completamente negra surgir acima da pedra, escorrendo do teto do cômodo principal da torre, e além da negriture desta fumaça escura, podia ver um brilho avermelhado se formar, tomando uma forma monstruosa e macabra, bem diante dos olhos do trio:



A figura sinistra aponta para o Thurmaz, reclamando sua vida. ela sabia o que estava sendo feito, e não aceitaria.
Barduk sente um arrepio percorrer a espinha. Era diferente, desta vez... estava sozinho.
O ambiente escurece, e o anão vê todos os acólitos, todas as luzes, todos os sons desaparecerem. Apenas ele e a morte naquele lugar tenebroso.

1) 19 x 15

A morte flutuava lentamente em sua direção. mas de tepente, como um corvo grasnando, ela se abre inteira, fantasmagórica, brandindo uma enorme foice de ferro-frio e ponta abermelhada como ferro em brasa.
Com um golpe direto, Barduk sente o peito queimar onde abriu-se um corte horrendo.
E olha para a morte a tempo de ver um filete de seu próprio sangue escorrer da ponta da foice, evaporando conforme escorria pela lâmina.
Mas a morte não escapou incólume. Uma "falha" na capa fantasmagórica, onde foi tocada por seu martelo, parecia queimar, sem se consumir. Um fogo branco e de origem divina.

2) 24 x 14

Ainda sem expressar emoções, a morte volta a voar feito um corvo mortal pra cima de você, e brande a foice violentamente. Tantos foram os golpes que Barduk sente sua armadura e sua túnica se despedaçarem, esfarrapadas sem piedade pela face mortal do antigo deus da Morte.

3) 26 x 24

Barduk volta a conclamar seu ethos, as mãos e o martelo brilhando em pura luz divina, que banhava cada parte da torre, cada fômodo, cada fresta, até mesmo escapando pelas portas e janelas.
A morte, irredutível, parte para cima brandindo a foice, que se choca com o martelo-luz de Moradim, explodindo em pura energia divina.
Barduk vê a escuridão se desfazer, a morte se desintegrar... mas também sente o corpo queimando, mesmo tocado por aquela energia bruta, uma força benéfica dos Planos, mas que se mistura à maldade de Ciryc, queimando e marcando fundo sua carne onde foi tocado pelos pedaços da foice de Nerull.

Com o choque da explosão dos encontros divinos, a porta da torre explode, e um fantasma brilhante escapa feito fumaça em chamas, desaparecendo no ar conforme se afastava da torre.

No final, Barduk estava caído no chão da torre, vendo a pedra-fundamental de Ciryc rachada. Sabia que aquilo comprometia toda a estrutura da torre, que teria de ser reparada.
Mas ao menos estava livre da influência maligna do Deus da Traição.

Resultados:

Pra cada acólito, Barduk ganha um bônus de +2 em sua jogada de Consagração.
Portanto,

1) 19 x 15(+4) = Empate*
2) 24 x 14(+4) = Ciryc
3) 26 x 24(+4) = Moradim

Barduk vence a disputa, consagrando toda a torre a Moradim, e por 1 ano a mesma será considerada um santuário ao Deus da Forja.

Mas conjurar tamanho feito DENTRO de outro templo foi como atrair a própria divindade contra você. E Ciryc era conhecido por ser um deus vingativo e letal.
Barduk estava vivo... mas a um custo muito grande.

Seus acólitos... estavam mortos.
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Barduk Amarkill em Ter Jan 16, 2018 9:46 pm

''aqueles que a mim vieram conheciam os perigos, mas estas nobres almas não servirão ti''

-O QUE ESTÃO ESPERANDO DESGRAÇADOS ME PONHAM DE PÉ. NIGEL ME AJUDE ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS.

*Barduk se arrasta como pode pendendo seu símbolo sagrado no peito de cada homem caído ali, esperando que Nigel faça o mesmo. Era desgastante, estava ferido, talvez morresse pelo esforço, mas não deixaria Nerull ou Ciryk levar a alma dos seus*

-daqui você não passará Ciryc! NÃO PASSARÁÁÁÁ.

<off> Barduk usará revivificar em ambos os mortos esperando que Nigel faça o mesmo para adiantar. Em caso de falha usará Revivificar e caso não funcione em algum deles devido ao tempo, então usará reviver os mortos

REVIVIFICAR
3° nível de necromancia
Tempo de Conjuração: 1 ação
Alcance: Toque
Componentes: V, S, M (um diamante no valor de 300 po,
consumido pela magia)
Duração: Instantânea
Você toca uma criatura que tenha morrido dentro do
último minuto. Essa criatura volta a vida com 1 ponto de
vida. Essa magia não pode trazer de volta a vida criaturas
que tenham morrido de velhice nem pode restaurar
quaisquer partes do corpo perdidas.


REVIVER OS MORTOS
5° nível de necromancia
Tempo de Conjuração: 1 hora
Alcance: Toque
Componentes: V, S, M (um diamante valendo, no
mínimo, 500 po, consumido pela magia)
Duração: Instantânea
Você traz uma criatura morta que você tocar de volta a
vida, considerando que ela não esteja morta a mais de 10
dias. Se a alma da criatura estiver tanto disposta quando
livre para juntar-se ao corpo dela, a criatura volta a vida
com 1 ponto de vida.
Essa magia também neutraliza quaisquer venenos e
cura doenças não-mágicas que afetavam a criatura no
momento da morte. Essa magia, no entanto, não remove
doenças mágicas, maldições ou efeitos similares; se eles
não tiverem sido removidos antes da conjuração da
magia, eles voltam a afetar a criatura quando ela volta a
viver. A magia não pode trazer uma criatura morta-viva
de volta à vida.
Essa magia fecha todos os ferimentos mortais, mas ela
não restaura partes do corpo perdidas. Se a criatura não
tiver uma parte do corpo ou órgão fundamental para sua
sobrevivência – sua cabeça, por exemplo – a magia falha
automaticamente.
Voltar dos mortos é um calvário. O alvo sofre –4 de
penalidade em todas as suas jogadas de ataque, testes de
resistência e testes de habilidade. A cada vez que o alvo
terminar um descanso longo, as penalidades são
reduzidas em 1, até desaparecerem.
avatar
Barduk Amarkill

Mensagens : 451
Data de inscrição : 12/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Qua Jan 17, 2018 10:00 am

More:

Contrariando as instruções claras de Barduk, More fica no mesmo cômodo, mas quando tudo escurece, assim que o general começa o ponto principal do extenso ritual, tudo escurece.
O drow não enxergava através daquela escuridão nefasta, até começar a ouvir portas e janelas batendo, gavetas e armários se abrindo por toda parte, e passos vinham descendo as escadas, quando sente uma lâmina fria atravessar o peito.

O choque foi tão repentino, a força do golpe, tão avassaladora, que More cai de joelhos, sentindo "o que quer que fosse" passar direto por você, descartado, a caminho do Thurmaz.
Tenta gritar, tenta avisar, tenta... qualquer coisa. Simplesmente cai, sem conseguir se mover.

A sensação de ser deixado de lado, abandonado nas trevas, era devastadora.

===============================

Barduk:

O primeiro a ser tocado era Jholnar, que estava mais próximo.
Barduk tenda Revificar... sem sucesso.
Tenta Reviver os Mortos... sem sucesso.

Seus corpos estavam ali, mas seus espíritos, não. Sente as mãos frias, seu próprio corpo congelava de frio e desolação.
Era a pior das sensações, tudo parecia "desmanchar" diante de seus olhos.
E quando não podia piorar, vê More caído ao pé da escada. Como os outros, distante. Frio e vazio.
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Qua Jan 17, 2018 11:21 am

Barduk se desespera, perdera não só dois grandes acólitos, mas um grande amigo.
Mexera, talvez, com forças muito além de sua compreensão.
Consagrar terra dormente, um solo neutro, para proteger uma relíquia era uma coisa. Mas tentar consagrar as forças templárias dormentes em uma pedra-fundamental... era algo que ainda estava além de sua capacidade... ou talvez estivesse na balança de seu controle.
Talvez tenha faltado preparo, ou talvez tenha faltado conhecimento do que poderia dar errado.
Sabia que não lhe faltou força, ou poder. Mas se faltou algo... o que teria sido?

Então Barduk vê as pedras ao seu redor brilharem, como se o chão se transformasse. A madeira velha e úmida de repente se transformava em pedra.

Toda a torre começa a tremer.
Os Dragões, cada vez mais assustados, entram logo atrás de Nigel, mas a porta não só bate como muda. Torna-se madeira reforçada, e entalhes surgem tanto por dentro quanto por fora... uma carranca anã, que parecia mover a boca.
O som era profundo, e parecia batidas ecoando por todo lugar. Não mais de portas e janelas, gavetas ou gabinetes, mas o som e clangores invisíveis, como uma força se movesse, etérea, entre os mundos.

Passos firmes vinham descendo as escadas, e o que parecia ser um anão envolto numa aura dourada, os olhos brilhando como luz do sol, se aproxima do pé da escada descendo dos andares acima, passando por More.
A mera passagem da luz pelo corpo sem vida do drow lhe devolve a vivacidade, o frio desaparece, e a sensação da fria lâmina de Nerull some por completo.
O ar logo volta aos pulmões, devolvendo a fala e a visão.

Barduk ainda estava ajoelhado entre os dois acólitos quando o anão espectral para à sua frente. Primeiro, pareciam faíscas brilhando em sua túnica. Mas logo Barduk identifica runas, de um alfabeto antigo que não conseguia se recordar.

O anão de luz se ajoelha diante de Dorín, desenhando uma destas rinas em seu peito, e imediatamente a cor retorna ao corpo, como o brilho renascido. O fogo da vida volta a queimar em seu espírito, devolvendo a vida ao fiel seguidor.
Então, vira-se para Jholnar, e repete o gesto.

Barduk sente algo estranho quando as runas e sua luz sagrada tocam seu corpo. era como se algo familiar despertasse nas profundezas da mente esquecida.
O anão olha Barduk nos olhos, e diz:
Torin: Que idéia é essa de brincar sem me esperar, cabeça-de-vento? Da próxima vez, vê se me espera.

Ele dá um cascudo em Barduk, que imediatamente recupera as forças, bem como as magias recém usadas.
O resultado obtido foi melhor do que o esperado. As forças renovadas da torre, agora dedicadas a um outro Deus, atraíram a atenção do próprio Moradim, que talvez Darduk houvesse se esquecido, não estava tão longe dali para ouvir.

Ele olha para os dragões, e seus olhos parecem brilhar ainda mais, ofuscando-os.
Torin: Avisem o fedorento do seu comandante que nem Dragões, nem Magos, nem Drows e nem Zhentarins. Estas terras pertencem a MORADIM. E eu e ele vamos ter uma longa conversa assim que eu terminar por aqui. Um Deus não espera um homem pra cuidar dos seus assuntos. É o bunda-mole do Istvan que vai me esperar chegar, bem comportadinho. senão eu caço ele atrás da saia de Gillian e o faço comer terra até Suzail, devolvendo a carcaça imunda dele à Corte, como quem devolve um brinquedo estragado. Agora... VÃÃÃO!!!

A última palavra sai trovejante, como quando Torim chegou pela primeira vez a Boven. Não foi preciso repetir, pois os Dragões se acotovelavam em fuga, voltando ao seu acampamento.

Barduk, e seus dois acólitos, estavam de joelhos diante de Moradim, em "pessoa".
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Morë Olori em Qua Jan 17, 2018 11:49 am

* O drow literalmente engole o ar, voltando a respirar como se estivesse se afogando de escuridão.

Acorda a tempo de ver Torin realizar seus milagres e o coração se enche de uma luz que devolve-lhe o ânimo e a força, não consegue deixar de ser invadido por admiração pelo Deus e por suas ações.

Olori levanta devagar e anda até o quarteto, retira das costas seu escudo e coloca aos pés de Torin, inclinando a cabeça de modo respeitoso.

O próprio escudo com o brasão drow, tbm tinha no brasão da Erel, a referência ao Deus Anão *



- Este Drow, servo da Mãe e da Donzela, tem o prazer de reverenciar o Forjador e a honra de estar ao lado de um verdadeiro Rei Anão.
avatar
Morë Olori

Mensagens : 951
Data de inscrição : 13/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Qua Jan 17, 2018 11:58 am

Torin olha em volta:
- Rei anão?? Onde?
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Morë Olori em Qua Jan 17, 2018 12:19 pm

- Esse filhote de coisa feia, a quem vocês chamam de ... Thurmaz.

* aponta para Barduk com o olhar, agora voltando a uma posição menos formal já que o próprio avatar não parece ser muito dado a isso. *
avatar
Morë Olori

Mensagens : 951
Data de inscrição : 13/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Qua Jan 17, 2018 1:04 pm

Torin estala o dedo, e More sente uma dor terrível quando uma forte descarga elétrica o acerta nos fundilhos.

Torin: Só pra deixar claro, só EU posso insultar meus clérigo. E isso foi pra aprender a obedecer quando um arquiclerigo mandar sair pra ele tramalhar. A menos que você esteja pensando em tomar uma sábia decisão na sua vida miserável e se converter, você OBEDECE.

Torin volta a olhar os 3 ajoelhados, e enão completa:
- Malthamor mandou você olhar pra outro lado. Está bem longe das suas respostas, cabeça de balde. E esqueça a trilha das Brumas ou Malthamor vai chutar sua bunda daqui até a Criação. Entendeu?
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Morë Olori em Qua Jan 17, 2018 1:19 pm

* O drow sente raiva, havia acabado de prestar homenagem ao deus anão para ele responder daquela forma, lembrara que Torin havia o enganado uma vez, dizendo que o Lich não estava no seu corpo... e agora aquilo novamente.

Respira fundo, tenta acalmar o coração, apesar do avatar tratá-lo daquele jeito, havia salvo sua vida e a dos seus algumas vezes... Mas porque agora ele quer nos afastar da trilha das brumas?

...

O druida se afasta, a raiva havia passado. Vai até uma janela e pensa no que ouviu do Fim, a cada dia que olhasse para trás, deixaria de realizar algo pelo que valeria a pena viver...

O caminho do grupo esbarrou com a trilha, e agora Moradin pede que ele se afaste, mas o mesmo deus, deixou aquele lich em seu corpo por algum propósito uma vez... Marionetes no jogo dos deuses... mas por qual motivo? O que eles estariam tramando? *
avatar
Morë Olori

Mensagens : 951
Data de inscrição : 13/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Qua Jan 17, 2018 2:12 pm

Quando more percebe, Torin segurava o escudo com o brasão Erel, olhava-o com curiosidade, segurando-o com as duas mãos, na altura dos olhos.
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Morë Olori em Qua Jan 17, 2018 9:00 pm

* Olha para Torin , da mesma forma, curioso*
avatar
Morë Olori

Mensagens : 951
Data de inscrição : 13/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Qui Jan 18, 2018 11:11 am

Torin pergunta, intrigado:
- Por que eu estou do lado de DENTRO do brasão?
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Morë Olori em Qui Jan 18, 2018 12:21 pm

- Em respeito aos anões, o símbolo maior é teu martelo. A intenção principal era unir os elementos entre o mundo anão e o drow. O porque estar dentro dos olhos, olhar? Talvez pelos olhos também verem através das bençãos que muitos de nós recebemos de ti... até mesmo alguns drows. Estar nestas terras, não é só comungar do credo da Dançarina, ou sentir as forças primais que nos rodeiam e dão sentido a tudo isso, mas também reconhecer como o teu olhar está em cada pedaço desta região. Moradin olha pelos seus, entendo que não apenas de cima, mas também por meio deles, por meio de seus "olhos"... Mas, enfim, sou apenas um drow tentando dar um novo significado a uma guerra que dura milênios ...

*arqueia a sobrancelha se perguntando o que Torin estaria aprontando agora*
avatar
Morë Olori

Mensagens : 951
Data de inscrição : 13/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Qui Jan 18, 2018 12:31 pm

Torin vira o escudo nos dois sentidos, olha ao redor, olha no verso, segura pela alça...
No fim, faz cara de "tá bom", e diz:
- Rapaz, se quer homenajear o forjador, FORJE algo. Mas tá bom. Você é "só um drow" - até parece. Drows não entendem nada da forja, ou não precisariam escravizar tantos anões em sua historia.

Ele estende o escudo a More, e diz:
- Você me intriga, mão fechada. Melhor ficar de olho em você antes que desgrace a fé de mais alguém.
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Morë Olori em Qui Jan 18, 2018 12:42 pm

" até parece? Han"


* Olori pega o escudo e responde de forma firme, porém educada. Sentia saudades de Arduliel, muitas, mas não podia ser culpado pela acólita não compreender que a necessidade do bem de uma população superava a si mesmo ou a ela, e Torin repetir isso parecia de alguma maneira um teste. *

- A fé não é um elemento que deva ser desgraçado por outrem, por favor, sabes disso. Nós nos reunimos para louvar, para comungar, mas desfazer a fé de alguém em algo, não meu Senhor, discordo, não sou eu capaz de tamanho feito! Se alguém tem dúvidas sobre sua fé a resposta esta internamente, é uma questão íntima e que nós que cá estamos aqui fora, só poderemos potencializar para bem ou mal, se assim for permitido. No mais, meu senhor, espero que tenha ficado satisfeito com o trabalho, e você está certo, estou procurando professores para aprender o antigo ofício de minha família. Quem sabe em algum momento, algum anão, também não me destine alguns conhecimentos...

*olha para Barduk sorrindo*

- Alias, posso fazer-te uma pergunta, meu senhor?
avatar
Morë Olori

Mensagens : 951
Data de inscrição : 13/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Qui Jan 18, 2018 1:02 pm

Torin olha More e diz:
- NÃO, não pode. Ela te tinha em alta conta, e você a desapintou. Mandou-a para longe, e tinha tanta pressa de aparecer que não podia esperar sua própria acólita voltar e participar? São atitudes como as suas que mantém as Matronas no comando. Se é com esta atitude que vem pedir auxílio, conselhos e indolência, eu o PROÍBO de pisar em meus templos até aprender o seu lugar. Um ato de VAIDADE custou a fé de Ardiliel e a fez mergulhar em desgraça. E SIM, VOCE VAI TER QUE VIVER COM ISSO.

Torin aponta para o drow, que é atingido com uma força avassaladora, arremessado para fora da torre em meio a um clarão.

Quando a claridade desfaz, a porta bate, e o drow vê a carranca encara-lo.
Estava atônito.

==========

Do lado de dentro, Barduk e os acólitos tremiam vendo Torin furioso. Era assustador.
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Morë Olori em Qui Jan 18, 2018 1:30 pm

* o Drow se levanta com medo, amedrontado, mas como um animal não recua, os pêlos estão eriçados... Ele fica de pé de frente a torre e não grita apesar da raiva descomunal que esta sentindo. Ele chega proximo a porta e fala baixo, cada vez mais sério, com uma voz pesada*

- Vaidade? Onde viu vaidade no que fiz? Não mandei Arduliel para longe, ela estava em uma missão, ajudando seus irmãos! Não é possível que pense isso, a comunidade e a região padecia de dor pelos seus mortos e eu simplesmente, e apenas, busquei ajudar para que pudéssemos ter um momento de desafogo, respirar e comungarmos juntos! TODOS construíram a canção, TODOS tinham espaço para expressar seu credo e seus sentimentos pelo que acontecia, inclusive Barduk e os demais, eu fui apenas mais um, e não é possível que não enxergue isso! Se me julgas dessa maneira Moradin, é uma pena, estou em paz com minha atitude.

* O drow estava irado, não conseguia perceber como queriam colocá-lo como o centro daquilo que aconteceu, nem ele mesmo sentia-se assim, como outros queriam vê-lo daquela maneira?

Olori não imaginava de maneira nenhuma, que Elistraëe concederia sua presença ali, ao bem da verdade, só queria ocupar a mente dos drows e dos convidados com algo que os pudesse distrair... É lógico que o arrebatamento pela aparição o encheu de alegria, mas negava que tudo aquilo foi feito por vaidade, e não aceitaria, nem mesmo um Deus dizer isso, não existe ninguém melhor para dizer sobre seus sentimentos que ele mesmo.

A dor de não ter Arduliel ali era grande, mas era dela a dúvida e o druida estaria sempre disposto a dialogar e responder o que existiu ali e pq te-lo feito, mas aquela afirmação sobre vaidade não cabia.

A Erel estava em missão, era verdade que talvez ele pudesse ter esperado, mas a dor da comunidade não esperava...

Ele não era um deus para saber a resposta de tudo, tomou uma decisão.

O drow olha para a porta desapontado, Torin o havia humilhado mais uma vez e sem motivo, mesmo quando o drow tentava tratá-lo da melhor forma possível. *

- Barduk, quando precisar de ajuda chame.
avatar
Morë Olori

Mensagens : 951
Data de inscrição : 13/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Barduk Amarkill em Sab Jan 20, 2018 12:49 am

*Barduk mantinha-se de joelhos, olhos baixos e apoiado em seu martelo, não entendia ao certo o que acontecia, mas ver seu patrono furioso daquela forma não era bom sinal, e desafiar um anão furioso, mesmo que o mais fraco deles, o que não era o caso, era encrenca na certa. Teria tempo para acalmar as emoções do drow mais tarde, mas este não era o momento para abrir a boca*
avatar
Barduk Amarkill

Mensagens : 451
Data de inscrição : 12/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Morë Olori em Sab Jan 20, 2018 9:53 am

* Olori ,parte para as cabanas onde haviam sido guardados os pertences da torre...

O semblante estava duro, os olhos vidrados. Buscara uma carroça para começar a arrumar as coisas e partir para Jhael, o laboratório de Shedan deveria continuar ali, até que conseguissem transportar para um local adequado para que não perdesse seu valor, ademais , todo o resto estava sendo guardado nas carroças .

Ele mesmo faz todo o trabalho, e apesar da raiva estampada no rosto, as ações eram cuidadosas, o druida , nos últimos meses, apesar de não se negar as emoções havia aprendido a no mínimo não transferi-las para as ações, porém, os olhos não tocavam a torre.

Guardado os pertences... ele diz aos cavalos ( falar com animais):

- Para Jhael, por favor... Venha.

* Segue a frente dos animais e ruma à comunidade drow.*
avatar
Morë Olori

Mensagens : 951
Data de inscrição : 13/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Sab Jan 20, 2018 11:22 am

Torin andava de um lado para o outro, furioso. Resmungava em línguas que barduk não compreendia, gesticulando e falando sozinho.
Então para e olha para Barduk:
- Me diga o que pensa, Barduk. Você conhece aquela praga a mais tempo que eu. Acha que eu exagerei?
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Barduk Amarkill em Dom Jan 21, 2018 2:00 am

-sei quem eu sou e sei quem tu és. Não ousaria te afrontar, mas...como disse, sei quem eu sou. Sei que drows não são confiáveis em sua extensa maioria, mas muitos e principalmente Olori se mostraram verdadeiros aliados. Ele te respeita e respeita teus dogmas, respeita teu clero e tua força. Mas diria eu a uma divindade como se portar?

*mantem-se na mesma posição, ainda estafa afoito com tudo que estava acontecendo*
avatar
Barduk Amarkill

Mensagens : 451
Data de inscrição : 12/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Felipe em Dom Jan 21, 2018 2:23 pm

Torin caminha para um lado e para outro, estava inquieto.
- Porcaria, porcaria, PORCARIA!!

Ele estala o dedo, e um clarão aparece em sua mão. Era o escudo de Olori, Barduk reconhecia. Ele o olhava de frente, segurando com as duas mãos.
- Não gosto de trabalhos em madeira. Élfico demais pro meu gosto. Mas ele teve o trabalho de incrustar minha Forja dentro de seu olho... o "Olho da Noite". Hummmm!! MIRKUL, SEU BASTARDO, O QUE VOCÊ FEZ?????

O berro sai tão furioso e trovejante que Barduk sente o coração parar por um instante.
O que teria visto Torin para enfurecê-lo daquela maneira??

Ele diz:
- Vá chamar seu amigo. Ele está em perigo. Até mais do que eu imaginava.
avatar
Felipe
Admin

Mensagens : 2413
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 40
Localização : São José dos Campos - SP

http://ospilaresdodestino.forumsrpg.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Afastar o mal, ou tentar.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum